3 de março de 2017

Para deixar a cobrança de lado

Foto: Clécio Vidal


Tenho vontade de ir contigo
Lá onde minha nuca é uma rua sem saída para teu beijo

Parece que a profecia de um amigo deu certo
E minha raiva sempre termina virando saudade

Não esqueça de buscar nossas alianças
Na câmara secreta do teu coração
Ou numa terra onde casar é desnecessário
Onde sou teu sendo mais de mim mesmo

Cada vez que você se esforça pra provar
Que não tenho importância nenhuma
Choro ao avesso
Pra não te preocupar

Talvez, eu deva admitir que sou louco
Por enxergar franjas de apreço
Na colcha da tua formalidade

Cada dia sou uma novidade
Uma complicação
Esperando ser desarmada pelo teu carinho
Estou pronto pra me derreter
Em tua bochecha
Que insistiu em me fazer ciúme
Colando-se com o rosto da dançarina

Não me importa se você é tímido ou festeiro
Porque consigo enxergar você sendo você
Onde quer que você esteja

Vem curar tua ressaca nas minhas ondas
E abraça meu terremoto
Até ele confessar que é um terreamo

Me navega
Até me convencer que arengar não é preciso
Que viver é a imprecisão mais preciosa

2 comentários:

  1. Sortudo é, o sujeito indefinido, 'vítima' dessa indireta romântica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que ele pense assim. Brigadão, Anônimo :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...