20 de dezembro de 2012

As estranhas vontades de nossos amigos para antes do fim do mundo

Calendário Maia 

Chego quase à conclusão (visto que um libriano conclusivo é um libriano doente!) de que o fim do mundo é um tipo de gênio da lâmpada a esperar ansiosamente que confessemos vontades estranhas. E, como é sabido por quem bem o sabe, a estranheza tem um lado encantador e surpreendente. Digo isso ao lembrar vontades de amigos meus, inspiradas pelos últimos suspiros do calendário maia. A seguir, listo algumas:

Anderson Lima – vontade de encontrar a receita da piada perfeita e convencer a todos que o riso é mais forte que a vergonha

Anuska Vaz - vontade de reler Os Maias, de Eça de Queiroz, e de, por meio de sua impressionante fotogenia (de Anuska e não de Eça :P), fazer o fim do mundo sair com cara de recomeço na foto de primeira página da Esperança.

Amós Andrade - vontade de fazer da simpatia uma dízima periódica, terminada em 99999999999...

Aline Figueiroa - arquitetar uma vingança de raios lunares em cada jardim de Burle Marx, onde não mais fizesse sentido proibir nenhum fruto.

Igor Bandim – vontade de plantar um livro e escrever uma árvore e, antes e depois, compartilhar estas vitórias com os amigos que, mesmo longe, sempre são próximos. Vontade de ler nossas dores secretas até inventar um título que seja capaz de curá-las.

Boris da Aliança- criar um manual ensinando os franceses a serem o melhor dos brasileiros e os brasileiros o melhor dos franceses.

Marcelo Diniz - ensinar todo aquele que está prestes a cair a se reerguer como um aikidoca e a vencer como um cavalheiro.

Sabryna do Aikidô- fazer de cada nota musical um espetáculo, dos sustenidos mágica e dos bemóis milagres e de toda essa sinfonia plateia que aplaude o coração humano.

Paulo Gurgel - transformar a pobreza num sonho que acorda desabrochado em flor de esperança, solidariedade e paz

Paulo Ricardo Almeida - apagar os incêndios de Ribeirão Preto e do Mundo e convidar a fé e a doçura para andarem na garupa do Grand Canyon ao longo de uma motocicleta.

Renata Scarpin - multiplicar pela clave de sol a luz do Espírito Santo e refleti-la mundo a fora no sorriso da fé.

Mário Daher - ser milionário o suficiente para poder fazer doações a todos os continentes até que a desigualdade se renda ao charme do Aikidô.

Dyego Holanda - escalar o Everest para dar um abraço caloroso no coelho da Duracell e juntos fazerem uma oração pela paz mundial.

Ana Geny - dividir o último gole de alegria infinita com a sedenta justiça.

Carla Araújo - vontade de dar um abração bem apertado no Visconde Partido ao Meio.

Delzuita dos Prazeres Lima - vontade de participar de um passeio ciclístico em Nibiru e ganhar como medalha a paz mundial.

Everson Cavalcanti - vontade de, com categoria, sair correndo, ao mesmo tempo, nu e de sunga branca pelas ruas recifenses. Isso pra servir de exemplo aos que anseiam despir-se dos invisíveis grilhões.

Fábio Soares Nunes - vontade de fazer o cerimonial do Encontro de Paz entre o Oriente, o Ocidente e Recife (o maior continente da América Latina).

Fátima Ferreira - vontade de convidar a elegância para dançar a última primeira dança ao som da primeira última música

Helga Vieira - vontade de criar o projeto arquitetônico de um lugar onde os traumas sofridos pelos animais possam ser apagados.

Karla Gisele Vidal: vontade de substituir os exércitos e as guerras por esquadrões da moda e missões de paz.

Gustavo Táriba - vontade de sabotar a fábrica da coca-cola e adquirir franquias da grife Star Wars para propagar o lado áureo da Força.

Juliana Mafra – vontade de desenvolver um software que desprograme o rancor, a mágoa e o preconceito

Ivana Perobelli - vontade de buscar no 1% de tempo que resta o amor indivisível.

Elizabeth Moura - vontade de ensinar os espíritos tristes a dançar balé para que o cisne branco que neles há ressuscite.

Ozan Revi - abrir uma empresa de exportação, sem fins lucrativos, cujo principal produto é o azul ardente do céu de Recife, que, de alguma forma, mora também nos seus olhos turco-britânicos.

Ana Paula Costa - vontade de que todos tenham a chance de voltar pra casa e encontrem um Eu-te-amo de pé à soleira da porta, despindo-se das luas de saudade

July Holanda – vontade de tocar violino até curar os gritos e silenciar as dores.

Mauro Torres – vontade de pedir emprestado ao Pequeno Príncipe um dos cometas que ele guarda na garagem do sonho

Aislam Melo – vontade de promover um acordo de cooperação entre Nárnia e a vida real

Mariana Silveira– vontade de ajudar a luz a pesar mais que a injustiça na balança dos destinos.

Sarah Catão- vontade de patentear seu sorriso como remédio para toda e qualquer esterilidade

Lylian Cabral – vontade de não deixar ninguém que ama sem saber que é amado.

Iara Lima – abrir uma filial da amizade sincera na Zona Franca e instaurar um tipo de comunismo em que todos tenham direito a plena liberdade de expressão e a um iate particular.

Mahely Barros – vontade de tornar a vida a cara da riqueza, com direito a limpeza de pele para extrair as marcas da arrogância e da auto-suficiência.

Wanessa Loyo – vontade de que o sorriso deixe de ser medida provisória e se torne decreto-liberdade.

Alberes – vontade de pintar com silêncios quadros impressionistas, fazendo do ser amigo uma rima com a luminosidade.

Augusto Noronha – vontade encontrar carinho e respeito onde supostamente só havia desajuste e, durante o processo, adquirir a versão pós-fim-do-mundo de Ghost Recon.

Marluce Vidal – vontade de nos aproximar da canção do Céu.

Noaldo Vidal – vontade de nos tornar felizes vítimas da conspiração da fantasia.

Luciana Zamprogne – vontade de ajudar os outros a fazerem da contradição um ato de fé e um gesto de lealdade.

Tony Pradines - vontade de cancelar a reserva no restaurante Leite e ir comer com os amigos um petit gateau de nata-goiaba no La comédie da Via Láctea

Ana Carolina Morais – vontade de plantar uma espada samurai e colher uma cachoeira de carinho.

Magaly Rocha - vontade de ensinar as armas de fogo a jogar fora o uniforme de guerra e se vestirem como as flores da Holanda.

Iliana Quidute - vontade de cantar com uma multidão uma música esculpida no milagre.

Renata Vieira - vontade de sentar aos pés do sonho e escutá-lo contar uma história para ninar o tempo e de,  acordar com vontade de prescrever para todos os impacientes os efeitos colaterais do amor: respeito, idealismo e paz

Renata Marques – vontade de fazer a esperança fluir através dos poros do rosto, hidratando os sorrisos, e dos poros da alma, dignificando as cicatrizes.

Amigos do Aikidô – vontade de treinar até o equilíbrio energético do planeta ser restaurado.

Cláudio Clécio – vontade de suspender o fim do mundo até seu Eu-te-amo chegar ao coração do Nobre Alguém.


Fim do mundo narrado por Galvão Bueno

4 comentários:

  1. adorei essas vontades todas! Você é demais, cláudio! Bjão! Luciana Z.

    ResponderExcluir
  2. Nem que eu tentasse, conseguiria expressar tão bem minha última vontade. Queria poder, de fato, realizar esse desejo, :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já consigo ver vocês todos realizando esses desejos, de forma diluída, no dia-a-dia ;)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...